in

InTenda – Meditação e Intercessão para Dezembro/2019

O InTenda traz como meditação e intercessão para dezembro de 2019 as reflexões abaixo…

A Importância da Oração

Moisés apascentava o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Madiã. Um dia em que conduzira o rebanho para além do deserto, chegou até a montanha de Deus, Horeb. O anjo do Senhor apareceu-lhe numa chama (que saía) do meio a uma sarça. Moisés olhava: a sarça ardia, mas não se consumia.. “Vou me aproximar, disse ele consigo, para contemplar esse extraordinário espetáculo, e saber porque a sarça não se consome.” Vendo o Senhor que ele se aproximou para ver, chamou-o do meio da sarça: “Moisés, Moisés!” “Eis-me aqui!” respondeu ele. E Deus: “Não te aproximes daqui. Tira as sandálias dos teus pés, porque o lugar em que te encontras é uma terra santa.. Eu sou, ajuntou ele, o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó”. Moisés escondeu o rosto, e não ousava olhar para Deus.

Êxodo 3,106

O Senhor se entretinha com Moisés face a face, como um homem fala com seu amigo.

Êxodo 33,11a

Podemos perceber aqui dois momentos do contato entre Deus e Moisés. No primeiro, percebemos que Moisés sequer ousava olhar pra Deus e escondia o rosto; no segundo, ele se entretinha com Deus face a face como se fala com um amigo. O que pode ter acontecido para que houvesse essa mudança?

A Mudança em Moisés

O que mudou nesse período foi que Moisés foi aprofundando seu relacionamento com Deus, buscando obedecer Suas ordens, mesmo sem entender ou ainda que não correspondessem às suas vontades pessoais. E como podemos buscar esse relacionamento com Deus? A resposta está na busca de uma vida de oração

O Compêndio do Catecismo nos ensina:

A oração consiste em elevar a alma a Deus ou em pedir a Deus bens conformes à sua vontade. Ela é sempre um dom de Deus que vem ao encontro do homem. A oração cristã é relação pessoal e viva dos filhos de Deus com o Pai, com o seu Filho Jesus Cristo e com o Espírito Santo que habita no coração daqueles.

Compêndio do Catecismo 534

Vida de Oração

A oração é, assim, a forma que temos de nos relacionar com Deus. É um dom. Deus sempre vem ao nosso encontro para essa relação, mas precisamos fazer a nossa parte. Assim como Moisés se aproximou em ver a sarça ardente, nós precisamos dar o nosso passo, tomar iniciativa em direção ao chamado de Deus.

Nós precisamos nos colocar em Sua presença para poder lhe ouvir, para poder escutar Sua vontade para nossa vida, Seus direcionamentos. Precisamos nos colocar na presença do Senhor com a postura de que Ele sabe o que precisamos, o que é melhor para nós, que somente Ele conhece profundamente nossos corações.

No entanto, muitas vezes, assim como Moisés, nos aproximamos do Senhor mas não ousamos olhar para a Sua face e nos apresentamos com máscaras diante do Senhor. Tentamos fingir algo que não somos, falar o que achamos que vai agradar ao Senhor, com vergonha de nossos pensamentos, de nossos gestos, daquilo que somos, dos nosso pecados.

Nos achamos indignos, não merecedores do amor e da atenção de Deus. Realmente somos indignos e não merecedores, mas Deus, na Sua infinita misericórdia nos ama do jeito que somos, com nossas fraquezas, com nossas limitações, com nossos pecados. Ele quer que O busquemos face a face, como a um amigo. 

Amizade com Deus

Se pensarmos a partir daí, como é nossa relação com um amigo? O amigo é aquele que conhece nossos mais profundos segredos, é aquele com quem não usamos máscaras, aquele com quem queremos falar todos os dias, várias vezes ao dia.

É aquele que procuramos para contar as coisas boas que nos acontecem, assim como para desabafar e pedir conselhos. É aquele que sabemos que vai sempre nos dizer a verdade, mesmo que ela não seja agradável, que vai nos impulsionar a seguir em frente.

A princípio, parece razoavelmente fácil concordar com a importância da oração em nossa vida e que precisamos desse momento de intimidade com o Senhor. E, em geral, temos a reta intenção de manter uma vida de Oração onde possamos realmente construir essa relação com Ele.

No entanto, na prática, isso não é tão fácil e acabamos colocando uma série de outras prioridades em nossa vida de forma que Deus vai tendo que arrumar um espaço em nossa agenda repleta de compromissos, inclusive dentro da Igreja. 

Refletindo…

Devemos ter consciência que a oração é uma batalha que travamos conosco, com nossas distrações, preocupações, com nosso orgulho de se sentir autossuficientes em cuidar de nossas vidas, em saber o que é melhor para nós, com nosso medo de conhecer a vontade de Deus e esta não ser a nossa própria vontade, do medo de assumir nossos pecados e a necessidade de conversão, de mudança de vida.

Combater contra o inimigo que nos enche de tentações visando o nosso constante afastamento de Deus, que tenta sempre nos mostrar que somos indignos de nos colocar em Sua presença. Combater a dificuldade em encontrar um local e horário adequados à oração sem distrações e interrupções.

É importante estar atento e vigilante, é importante perseverar, nos colocar regularmente na presença do Senhor em oração. Precisamos, assim como Moisés, trilhar um caminho de intimidade com Deus, O buscando, O ouvindo, abrindo nosso coração, estando atentos ao Seu direcionamento e permitindo que Ele venha realizar a Sua vontade e Seu plano em nossa vida.

E, assim como Moisés, possamos deixar de não ousar olhar para Deus e passemos a nos entreter com Ele face a face como com um amigo.

Escrito por Equipe Tenda do Senhor

Grupo de Oração Tenda do Senhor

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

História de Nossa Senhora do Rocio

A Curiosa História de Nossa Senhora do Ó