in

AprendiAprendi Amei!Amei!

A Igreja e a Simonia

Resumidamente, é a comercialização de bens espirituais, bençãos, orações, etc.

O que o Catecismo da Igreja diz sobre a simonia?

A simonia é definida como a compra ou a venda de realidades espirituais. A Simão, o mago, que queria comprar o poder espiritual que via em ação nos Apóstolos, Pedro responde:

“Pereça o teu dinheiro, e tu com ele, porque julgaste poder comprar com dinheiro o dom de Deus.”

(At 8, 20)

Desta maneira, Pedro obedecia à palavra de Jesus:

“De graça recebestes, dai de graça.”

(Mt 10, 8)

É impossível apropriar-se dos bens espirituais e comportar-se em relação a eles como um possuidor ou um dono, pois a fonte deles é Deus. Só se pode recebê-los gratuitamente dEle. Sendo assim, dizemos mais uma vez: caracteriza-se como simonia a comercialização de orações, objetos já abençoados, bençãos, etc.

Simonia é pecado?

Sim! A simonia, é um dos pecados contra o primeiro mandamento da Lei de Deus. Um dos pecados de irreligião, junto do sacrilégio e da ação de tentar a Deus em palavras ou em atos.

Exemplos de práticas de simonia são a comercialização de medalhas, terços, escapulários, objetos litúrgicos e paramentos abençoados; a venda de bençãos e orações; e a comercialização de sacramentos.

Escrito por Equipe Tenda do Senhor

Grupo de Oração Tenda do Senhor

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

História de Nossa Senhora de Caná

Nossa Senhora dos Impossíveis