in

Amei!Amei! AprendiAprendi

Levanta-te, de joelhos, diante do Senhor!

Foto por Ben White em Unsplash, editada por Tenda do Senhor

Há uns bons anos, era muito comum cantarmos uma música que tinha por refrão: “O nosso general é Cristo! Seguimos os seus passos. Nenhum inimigo nos resistirá!” Pensando nisso hoje, nos deparamos com um questionamento: o que seria seguir os passos de Cristo a ponto de nenhum inimigo nos resistir?

Jesus orava. E muito. São inúmeros os textos bíblicos que nos apresentam essa realidade. E não tinha motivo particular para que Ele rezasse: era algo quotidiano, normal, que fazia parte de Sua vida, assim como respirar, falar, andar, sorrir, comer, dormir. A oração de Jesus sempre se voltava para o louvor e a adoração ao Pai, sempre O engrandecia e agradecia por todas as coisas. E é por aí que caminharemos.

O Deserto da Oração

Em seguida, Jesus foi conduzido pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo demônio. Jejuou quarenta dias e quarenta noites. Depois, teve fome.

O tentador aproximou-se dele e lhe disse: ‘Se és Filho de Deus, ordena que estas pedras se tornem pães’. Jesus respondeu: ‘Está escrito: Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus’.

O demônio transportou-o à Cidade Santa, colocou-o no ponto mais alto do templo e disse-lhe: ‘Se és Filho de Deus, lança-te abaixo, pois está escrito: Ele deu a seus anjos ordens a teu respeito; proteger-te-ão com as mãos, com cuidado, para não machucares o teu pé em alguma pedra’. Disse-lhe Jesus: ‘Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus’.

O demônio transportou-o uma vez mais, a um monte muito alto, e lhe mostrou todos os reinos do mundo e a sua glória, e disse-lhe: ‘Dar-te-ei tudo isto se, prostrando-te diante de mim, me adorares’. Respondeu-lhe Jesus: ‘Para trás, Satanás, pois está escrito: Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás’.

Em seguida, o demônio o deixou, e os anjos aproximaram-se dele para servi-lo.

Mateus 4, 1-11

Podemos ler acima que, após 40 dias de jejum e oração, Jesus venceu todas as tentações que o inimigo apresentou e os anjos O serviram. Ou seja: Ele venceu as batalhas pelo poder da oração e do jejum. Portanto, não há inimigo que resista à oração e ao jejum.

Deus: o Alvo das Nossas Orações

Contudo, voltando ao que falamos lá no começo, o alvo da nossa oração e do nosso jejum não pode ser nossa batalha, nossas tentações, nosso problemas, mas Deus. Devemos ter o Senhor como fonte e objetivo das nossas orações. Devemos procurar o Senhor e não o que Ele pode nos dar. A vitória se dá por meio da sua Vida na nossa vida e não por meio do que Ele nos dá.

Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito e verdade, e são esses adoradores que o Pai deseja.

João 4, 23

Hoje, precisamos entender que nossas batalhas não são vencidas de pé, guerreando, falando de Deus, combatendo aqueles que vêm contra nós ou contra a Igreja, mas de joelhos, diante do Senhor, que é quem tudo pode em nós. Precisamos ser os adoradores que o Pai procura. Precisamos que a busca de Deus por adoradores faça eco em nós e termine em nós, e nos curve diante da sua grandeza.

Deus dá as batalhas mais difíceis aos seus melhores soldados.

Papa Francisco

Assim, o bom soldado de Deus é aquele que, de joelhos, se levanta diante do inimigo e o derruba, mandando-o de volta ao lago de fogo, de onde nunca deveria ter saído. O bom soldado é aquele que gasta tempo na presença de Deus, em oração, adoração e jejum. É aquele que empunha as grandes armas de batalha: A Eucaristia, a Palavra de Deus e o Rosário da Virgem Maria.

Reflexão e Convocação

Por isso, te convocamos, meu irmão: levanta-te de joelhos diante de Jesus Sacramentado, com a Palavra de Deus no coração e nos lábios, e o Santo Rosário nas mãos. Pois, se o nosso general é Cristo, a nossa coronel é Nossa Senhora, e ela combate conosco no exército de Deus, e vence conosco em Deus, pois ela foi quem primeiro entendeu que a única posição de vitória possível é ajoelhada diante do Trono do Altíssimo.

Tá preparado para vencer? Dobre seus joelhos diante de Deus e corra pro abraço da vitória! Afinal, com Deus em nossas vidas, somos mais que vencedores! (cf. Romanos 8, 37)

Escrito por Equipe Tenda do Senhor

Grupo de Oração Tenda do Senhor

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

São Maximiliano Maria Kolbe

QUIZ: São Maximiliano Maria Kolbe

A Invocação de Nossa Senhora das Vitórias