in

Amei!Amei! AprendiAprendi

Meu Senhor e meu Deus!

Já era noite. Muita coisa havia acontecido nos últimos dias e, especialmente, naquele dia, que era o primeiro da semana, ou seja, domingo. As mulheres tinham ido ao túmulo e voltaram dizendo que Jesus não estava lá. Viram até anjos! Dois discípulos também foram e nada! Jesus havia sumido! Os anjos disseram que Ele havia ressuscitado. Mas, cadê Jesus ressuscitado?

Quando menos esperavam, com as portas fechadas, Jesus entra, se apresenta, restabelece a paz, sopra o Espírito Santo sobre eles e confere aos seus discípulos o poder de perdoar os pecados. Aqueles que passaram o domingo todo com dúvidas e expectativas, agora estão diante do Senhor ressuscitado. Menos Tomé. Que duvida. Duvida e desafia. Como somos tão Tomé às vezes…

No oitavo dia da semana, ou seja, no domingo seguinte, Jesus aparece de novo, entra com as portas e janelas fechadas, deseja a paz e já se dirige a Tomé, mandando que ele toque suas santas chagas. A Palavra de Deus não nos diz se ele tocou ou não, diz apenas que ele professa sua fé no Cristo ressuscitado: “meu Senhor e meu Deus!” Acreditou porque viu!

Refletindo

Jesus diz que felizes são os que acreditam sem ver. Muitas vezes, nos dizemos felizes porque Tomé teve que ver e nós acreditamos sem ver. Será? Acreditamos mesmo? Ou ficamos desafiando a Deus com promessas e mais promessas do tipo: Deus, se você me der isso, eu te dou aquilo? Acreditamos no Senhor Jesus ou ficamos pedindo sinais e mais sinais dos seus projetos para nós?

Se fôssemos, pelo menos, como São Tomé, acreditaríamos no Senhor quando o víssemos. Mas, não! O vemos a todo instante na Eucaristia, comungamos seu Corpo e Sangue, e vivemos como incrédulos, com medo, como se Jesus ainda estivesse preso no sepulcro…

Jesus ressuscitou! Vive, reina, e é nosso Senhor e Deus!

Escrito por Equipe Tenda do Senhor

Grupo de Oração Tenda do Senhor

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

QUIZ: Quem é o santo? #1

Pecados Capitais: O Orgulho

Pecados Capitais: O Orgulho